Em meados do século XVI, freiras missionárias européias vieram para o Brasil e se instalaram nos municípios de Poção e Pesqueira, interior de Pernambuco trazendo da cidade de Veneza na Itália uma técnica denominada RENASCENÇA, também conhecida como renda inglesa e irlandesa.

A arte é confeccionada com agulha, linha e lacê de algodão e é famosa pelo estilo de bordado que é utilizado como forma de sustento, e, principalmente, de arte tecida pelas mãos habilidosas de mulheres simples.

Primeiro, faz-se um desenho sobre um papel vegetal preso em uma pequena almofada. Em seguida, o lacê é então afixado sobre o papel com a ajuda de alfinete e entremeado pelos diferentes pontos da técnica. Cada ponto da renda renascença recebe um nome especial, inspirado em sentimentos, elementos da natureza ou alimentos da região.

Entre os mais conhecidos e mais utilizados pelas rendeiras estão: aranha, abacaxi, traça, amor seguro, laço, sianinha, malha e (dois) amarrados.